Páginas

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

para as Srtas Desespero


Enquanto eu continuo solteira/encalhada/forever alone, vejo várias meninas - românticas, dramáticas ou tristes - procurando incessantemente alguém que acolham-nas (sedentas por carinho, passeios de mãos dadas, filmes à dois, beijinhos de surpresa e abraços acolhedores). Estranhamente elas acreditam que algum milagre matemático possa acontecer e fazer com que 1 mais 1 seja igual a 1 (oi?).
Pensar isso é meio absurdo e invasor. Como alguém pode desejar que dois indivíduos se tornem um só? Todos precisam da sua própria vida, dos próprios  pensamentos. Acredito na teoria da "medida certa": somos amantes (não me entendam pelo lado adúltero), e naturalmente temos a nossa intimidade, nossos momentos a sós, mas isso não significa que faremos tudo juntos. Afinal, ninguém quer cagar enquanto cheira a merda do outro. Acima de tudo, somos seres humanos que precisam de espaço para as peculiaridades que couberam a cada um.
Querer passar junto as 24 horas do dia, 7 dias por semana, todas as semanas do mês, já é demais. Mulher precisa de tempo pra ir no salão, se depilar, fazer as unhas, arrumar o cabelo, cuidar da pele, encontrar com as amigas, estudar, trabalhar e tantas outras coisas. Homem precisa encontrar os amigos, tomar a santa cervejinha, conversar besteira/sacanagem, assistir ou até jogar uma bolinha semanal e ainda trabalhar. Todo mundo tem uma vida que não dá pra adiar nem pra compartilhar a todo momento.
Portanto, senhoritas desesperadas, começem a exercitar o desapego das coisas e das pessoas. Querer alguém para si é super normal, saudável e torna até mais apetitoso o próprio dia a dia. Mas cuidado com os exageros, porque, como já diz minha mãe, "tudo que é demais, faz mal".
Um beijo,
            da antiga desesperada.